News Summary
Arte & Cultura

Trienal de Luanda e Aliança Francesa promovem formação sobre projectos culturais

Andrade Lino
1/8/2017

Andrade Lino

Andrade Lino é redator e fotógrafo do Canal ONgoma. Com uma forte sensibilidade artísica, nas artes visuais e música, concilia o trabalho com o curso superior de Língua Portuguesa e Comunicação.

Foto por:
Direitos Reservados

Com o objectivo de contribuir para o desenvolvimento dos profissionais da cultura da capital angolana, a Aliança Francesa de Luanda, a Embaixada de França em Angola e a Trienal de Luanda promovem, desde ontem até o dia 5 de Agosto, uma formação sobre Elaboração e Gestão de Projectos Culturais, com o docente brasileiro Ticiano Arraes.

Nesta acção formativa, a decorrer no Pálacio de Ferro, os participantes irão adquirir conhecimentos e métodos práticos para conceber, financiar, produzir e divulgar um evento cultural.

Para o feito, foi realizada uma selecção de 25 participantes ligados a instituições públicas e privadas, fundações, associações, centros e movimentos culturais da cidade de Luanda, dos quais se destacam o Ministério da Cultura, a Fundação Agostinho Neto, a Rede das Mediatecas de Luanda, o Museu Nacional da Escravatura, o Museu das Forças Armadas, o Museu de Antropologia, o Museu de Historia Natural, o Chá de Caxinde, o IACA, o Centro Anim’Art e o Lev’Arte.

A formação terá a duração de 24 horas, divididas em 4 horas diárias, num período de 6 dias, das 14h00 às 18h00. O programa tem com seis tópicos, dentre eles “Mapear”, que aborda a apresentação dos membros, identificação do cenário local, nacional da produção cultural, identificação das expressões culturais; “Planejar”, que constitui a apresentação das etapas de elaboração e gestão de um projecto cultural e adequação aos mecanismos de financiamento, levantamento de informações sobre o tema escolhido por cada participante e apresentação colectiva dos temas escolhido; e “Elaborar”, onde se vai falar sobre a conceituação de um projecto: objecto e justificativa, objectivos gerais e específicos, metas e actividades, público-alvo, distribuição, contrapartida, estratégia, cronograma e outros aspectos, de acordo com o comunicado que nos chegou.

O formador, Ticiano Arraes é designer de produto e actua com foco nas áreas social e cultural. A maioria dos seus trabalhos está ligada a ONG’s, instituições culturais, governos e projectos culturais de produção independente. Em 2013, a sua produtora Orbe Produções tornou-se o primeiro espaço de coworking do Recife – ORBE Coworking. Nesse mesmo ano, surgiu a ARRAIA-Produções Artísticas e Culturais, com o objectivo de dar continuidade às acções antes desenvolvidas pela Orbe Produções. As suas principais actividades incluem a elaboração, gestão e produção de projectos culturais, o desenvolvimento de oficinas no campo do design, artesanato e expografia.